• warning: include(../orelha/yp.php): failed to open stream: No such file or directory in /var/www/data/drupal-6-lts/includes/common.inc(1773) : eval()'d code on line 4.
  • warning: include(): Failed opening '../orelha/yp.php' for inclusion (include_path='.:/usr/share/php') in /var/www/data/drupal-6-lts/includes/common.inc(1773) : eval()'d code on line 4.

EUA aprovam padrão de rádio digital terrestre

O NRSC (National Radio Systems Comittee), órgão da indústria de radiodifusão que assessora a FCC, aprovou neste final de semana, durante a NAB 2005, um padrão do tipo IBOC (In-band/on-channel) de rádio digital terrestre para os Estados Unidos. No sistema IBOC não há necessidade de canais adicionais para o rádio digital, a transmissão é feita sobre as freqüências AM e FM existentes. A adoção do padrão, denominado NRSC-5, deve acelerar a implantação do rádio digital terrestre no país.

Embora tecnicamente seja possível, com o rádo digital, se transmitir mais de um canal por freqüência, os broadcasters americanos têm preferido, por entender que esta é a vontade do mercado, usar a tecnologia para transmitir rádio de alta definição, com recursos como o surround 5.1. O rádio digital também permite a transmissão de dados (datacasting).

A tecnologia adotada pelo NRSC foi a da empresa iBiquity, resultado da fusão da Lucent Digital Radio e da USA Digital Radio. A NRSC é financiada pela NAB e pela CEA, a associação dos fabricantes de eletrônica de consumo.

No Brasil

Segundo fonte do setor de radiodifusão ouvida por TELA VIVA News, as emissoras brasileiras poderiam a qualquer momento adotar a transmissão de rádio digital pelo sistema IBOC, pois não há necessidade de novas freqüências. "Em nenhum momento está dito que as concessões de rádio não podem ser usadas para a transmissão digital", diz a fonte. "É apenas uma questão empresarial, de decidir quando é o momento de investir".

Mas fontes do governo, sobretudo na Casa Civil e no Ministério das Comunicações, não acham que a questão seja tão simples. Entende-se que, apesar de não ser o caso de se pensar em desenvolver um padrão nacional de rádio digital, é necessário ainda testar e conhecer os padrões existentes, que ainda não estão homologados e completamnete estabelecidos. O Brasil já firmou convênio, por exemplo, com o padrão Europeu (DRM - Digital Radio Mondiale) para testes, e pretende fazer o mesmo com os demais padrões. Mas não se sabe como o governo reagirá se alguma emissora tentar partir para a digitalização sem o sinal verde das autoridades. Da Redação - TELA VIVA News - Retirado do Clipping FNDC.

Comments

Qualidade

Parece que as rádios comerciais sempre tentam compensar a baixa qualidade da programação com a alta definição da qualidade baixa.

Os broadcasters optaram pelo que eles chamaram de escolha do mercado, mas e a escolha dos ouvintes, é pelo aumento do número de canais ou pela qualidade das transmissões?