• warning: include(../orelha/yp.php): failed to open stream: No such file or directory in /var/www/data/drupal-6-lts/includes/common.inc(1773) : eval()'d code on line 4.
  • warning: include(): Failed opening '../orelha/yp.php' for inclusion (include_path='.:/usr/share/php') in /var/www/data/drupal-6-lts/includes/common.inc(1773) : eval()'d code on line 4.

Gilvam Borges, o "marechal eletrônico" da mídia no Amapá

[radiolivre] Gilvam Borges, o "marechal eletrônico" da mídia no Amapá (90,5 FM) - [Lista de discussão do radiolivre.org]

A imprensa do Amapá nunca foi dada a falar de si mesma. Mas a escandalosa expansão do Sistema Beija Flor de Rádio Difusão, da família do senador Gilvam Borges (PMDB), começa a ser denunciada em veículos alternativos. Seu clã quer dominar nada menos que 152 emissoras de rádio e TV, distribuídas em quatro estados do Norte e do Nordeste.

Setores da sociedade se ocupam em criticar o caráter conservador da imprensa tradicional e a tentativa de dominação ideológica através do pedido de concessão pública. Os protestos são contra o monopólio da mídia amapaense, exercido por um grupo bastante restrito de famílias e partidos políticos.

Já condecorado por alguns jornalistas amapaenses como "marechal eletrônico", Gilvam desperta indignação, sobretudo dos movimentos ligados às radio comunitárias. O senador - que já domina o sistema de rádio difusão na capital, Macapá - tem se esforçado para monopolizar também as regiões ribeirinhas do estado e do vizinho Pará, criando uma cadeia de rádios comunitárias.

A medida é ilegal, mas Gilvam tem seus trunfos. O marechal é do mesmo partido do ministro das Comunicações, Hélio Costa. Integra, como membro permanente, a Comissão de Comunicação do Senado. Emplacou a substituição da superintendente da Anatel por um aliado de seu grupo político. Com isso, está uniformizando a programação das rádios locais e se beneficiando, financeira e eleitoralmente, à custa das concessões públicas.

Poder perpétuo

Em seu site, o jornalista Correa Neto divulgou a lista das emissoras que já foram cobiçadas pelo Sistema Beija Flor. "Gilvam tem pretensão de despontar no cenário nacional. Quer ser um dos grandes políticos da região Norte e se perpetuar no poder, como os senadores Arthur Virgilio (PSDB-AM) e Jader Barbalho (PMDB-PA)", especula Correa Neto.

Segundo o jornalista, também é possível que Gilvam aja apenas por interesse financeiro, para "aumentar o patrimônio de sua família comprando as concessões por preços baixíssimos e as vendendo por verdadeiras fortunas". Correa Neto não descarta a possibilidade de paraenses reagirem a essa invasão em freqüências moduladas (FMs) e ondas médias (OMs) das rádios de Gilvam. De seus 152 pedidos de concessão, 98 são no Pará.

De posse da tutela da mídia, o senador estimula a migração de cidadãos de municípios paraenses próximos de Macapá a transferirem seus títulos de eleitor e votar nele. Com tanto poder, quem pode combater o marechal?

É necessário que os órgãos oficiais responsáveis por implementar a legislação na área da radio difusão desempenhem uma política mais efetiva de fiscalização. Empresas como o Sistema Beija-flor de Radio Difusão conseguem burlar as leis e expandir impunemente sua área de cobertura.

Da redação, Alan Sales

Fonte: http://www.correaneto.com.br/noticias/8_3_07marechal.htm