• warning: include(../orelha/yp.php): failed to open stream: No such file or directory in /var/www/data/drupal-6-lts/includes/common.inc(1773) : eval()'d code on line 4.
  • warning: include(): Failed opening '../orelha/yp.php' for inclusion (include_path='.:/usr/share/php') in /var/www/data/drupal-6-lts/includes/common.inc(1773) : eval()'d code on line 4.

Audiência do Rio... ou quero Pão de açucar!!

É camaradinhas ... dia 05 , no Rio, nada de novo no front. Os representantes do poder público mais uma vez repetiram o discurso legalista e nem PF, nem Antel, nem Minicom assumiram a responsabilidade pelas mazelas da nossa radiodifusão.Como disse o delegado Armando Coelho, foi um festival de inocentes.

Descobri algumas coisas importantes sobre a legislação... ouvi o Daniel Sarmento (o cara é procurador e tem um discurso antenado com a nossa missão) e fiquei imprescionada com a pluralidade de vivências e possibilidades das rádios comunitárias no Rio.Tinha muita gente (160 pessoas, + ou - 100 entidades representadas) , inclusive o pessoal da Interferência.

Marcou presença também o delegado da PF carioca que tem exclusivamente o papel de fechar as Rádios Comunitárias. e pior: um orgasmo a cada vez que cumpre este ato. Mesmo sendo citado por diversos/as representantes das rádios, ele não fez uso da palavra, nem sequer respondeu as questões a ele dirigidas.

Conclusão geral: é consenso que a lei 9612 precisa ser substituida. Mas o processo para a nova lei, nós que estamos construindo. Acho importante que participemos destes encontros que envolvem tantos setores. E que possamos estar manisfestando a existência de nossas experiências livres, laboratoriais... que a mim, pelo menos, não devem ser ilegais, nem marginalizadas.

Mas enquanto as "coisas" continuarem assim, acho que não tem outro jeito. Por isso precisamos nos articular e agir. (somente isso, tá ? :- ) Tentei introduzi a questão das rádios livres... pegando o gancho com algumas manifestações de quem tava na mesa, que citaram a pluralidade, liberdade de expressão, exercício de cidadania, democratização dos meios.... o único que me respondeu diretamente foi o Tião Santos com o seguinte comentário: "o modelo de rádio livre existe e nós (das rádios Comunitárias) o apoiamos. Mas vocês têm que se organizar."

O representante da PF disse tantas bizarrices, uma em particular merece ser registrada aqui: - se uma rádio livre pedir a concessão, aí todo mundo vai querer pedir e nós vamos perder nosso lema de ordem e progresso, que tá lá na nossa bandeira... AH ! além disso, ele assumiu que os processos eram embasados no ar.t 70 da lei 4.117, enquanto deveiam ter sido feitos pelo art.183 da mesma lei ... ou seja, os processos são inconstitucionais (por mais este motivo). Teve também uma representante do poder jurídico - Maria Eliane (uma procuradora - única mulher nas mesas - que mandou bem) - um juiz nem sabe quanto custa um quilo de feijão, quanto mais um juiz sabe, mais se afasta das pessoas que julga. Quando julga um caso ele nem sabe quem são aquelas pessoas, é tudo mais uma pilha de papel...

Agora o troféu bizarro vai para o representante da ABERT. Apesar de ser um excelente e reconhecido engenheiro, ele afirmou: que não existe oligopólio no serviço de comunicação, não atrapalham rádios comunitárias e sim as clandestinas, a faixa no dial para as rádios comunitárias (que fica fora do dial) é uma determinação internacional e eles não podem fazer nada... as rádios comunitárias não pagam ECAD, nem direitos trabalhistas e não transmitem os programas obrigatórios e por isso, não convém serem legalizadas. E ainda querem ter publicidade na programação, em breve não terá diferença entre uma rádio comunitária e uma rádio comercial.

Bem, meu companheiro Márcio Jerry já tinha dito numa audiência aqui em Brasília, e isso foi reforçado pelo Daniel Sarmento no Rio, que se o Ministério das Comunicações admite que não dá conta seuqer de lê, oxalá de serem analisados, se PODER EXECUTIVO assume esta falha as rádios não podem ser repreendidas e fechadas por isto. É.... não é mole não.... o bagulho é bom, mas o processo é lento !!!

aquele bei-ju
Juliana Lima

Comments

isso é o pais midilcre que vivemos

bom eu sou o wander de suzano sp o q mais acontece nesse paiz é a ditadura; pois nâo podemos falar nos expressar ai eu pergunto a todos isso é democracia?
trabalhar no brasil é crime ai vem esse ai q se diz do lado do trabalhador e nos proibi de trabalhar somos escravos do capitalismo onde o poder esta com eles como disse o amigo........raul " em quanto ouver a burguesia nâo havera poesia " chega de falar bonito autoridades o povo esta cansado de tanta babosera.
sabe amigos só vamos conseguir algo se formos pras ruas enfrentar esses caras se ficar-mos quietos estamos perdidos......
1 maio dia do trabalho que trabalho , na europa os trabalhadores vao pras ruas exigir seus direitos enfrentar o governo.

no brasil é lindo eles trazem grupos , sorteiam ap , carros ai o trabalhador vai la e se diverte ,no outro dia continua desenpregado , vamos acordar vamos nos unir contra esses caras .
fica aqui meus votos ao amigos q tiveram suas emissoras fechadas por esses ai q se dizem ao lado do povo , vc acredita nisso?????
sou radialista formado e desempregado , senhores parlamentares vcs podem me arrumar um emprego no radio?; pois vcs tem 20 emissoras cada , por isso q estou sem emprego vou deixar aqui meu e-mail caso vcs q cuidam do brasil quiser me processar ou calar-me de alguma fora sejam sempre bem vindos senhores da lei....
sorte a todos amigos das radios comunitarias piratas como queiram , mas amigos da mesma forma........

morrerei falando mesmo que sozinho....

wander nascimento
wanderleyjesus@yahoo.com.br