A Nave Vai

A Nave Vai

Entre abril e maio a rádio Xibé e a Associação Fogo Consumidor Filmes de Tefé participaram da expedição A Nave Vai, composta por comunicadores andinos e amazônicos do Brasil, Equador e Peru e que cruzou os três países entre Quito e Tefé conhecendo as comunidades, cidades, lutas e problemas sociais enfrentados por esses comunicadores e seus povos. Da Xibé participaram Jhqcunam, da etnia Miranha, e Tchimaucu, que é Ticuna.

A equipe com doze comunicadores, em sua maioria indígenas, esteve em Tefé entre os dias 12 e 19 de junho encontrando e assistindo palestras da rádio Xibé, rádio Voz da Ilha, Fogo Consumidor e Aparecidos Políticos, um grupo de Fortaleza que mescla arte e política para fazer aparecer a memória dos desaparecidos da ditadura militar e que no dia 13 lançou em Tefé o livro Mini-manual de arte guerrilha urbana. Os comunicadores também deram entrevistas nos programas Voz da Universidade, na Rádio Educação Rural de Tefé AM, e Rock Time, na rádio Mel FM.

Entre os dias 16 e 17 a expedição foi até a FLONA-Tefé acompanhada pelo ICM-Bio, onde entrevistou comunitários e constatou o quase total abandono das comunidades pelos poderes municipal, estadual e federal. Muitos comunitários estão sofrendo com a cheia que alagou as suas casas e até agora não chegou absolutamente nenhum socorro, embora o município de Tefé esteja em estado de emergência. A expedição também encontrou a obra abandonada da escola de alvenaria da comunidade Tauary, e até a atuação do ICM-Bio está prejudicada devido aos cortes orçamentários das políticas de austeridade. Durante a viagem à FLONA a Xibé montou no barco a estrutura para o funcionamento da rádio A Nave Vai FM, que realizou transmissões experimentais no rio Tefé.

O projeto A Nave Vai foi organizado pela AMARC-Brasil, Instituto de Defensa Legal do Peru e a ONG Radialistas Apasionadas do Equador, e teve financiamento da Pão Para o Mundo.