Dissertações

Monografias de Dissertações sobre radiodifusão.

(...)Radio Totopo y los procesos de organización comunitaria a los que contribuye la emisora, son el motivo que la autora escoge para hablarnos de la resistencia de los pobladores de Juchitán ante el embate de compañías productoras de energía eólica que bajo el amparo de autoridades locales, estatales y federales depredan uno de sus recursos naturales más preciados: el aire, lugar donde ‘habita’ el espacio radioeléctrico(...)

https://ia601900.us.archive.org/21/items/AireNoTeVendas/Aire%20no%20te%2...

Teoria do rádio (1927-1932) – Bertolt Brecht
*tradução de Regina Carvalho e Valci Zuculoto

I. O rádio: uma descoberta antideluviana?
Lembro como ouvi falar do rádio pela primeira vez. Foram notícias irônicas de jornal sobre um furacão radiofônico completo, cuja missão era arrasar a América. No entanto, tinha-se a impressão de que se tratava de assunto não apenas da moda, mas realmente moderno.
Esta impressão se desvaneceu muito rápido, quando também tivemos ocasião de ouvir rádio. Naturalmente, a princípio ficava-se maravilhado e se perguntava de onde procediam aquelas audições musicais, mas logo tal admiração foi substituída por outra: perguntava-se que tipo de audições procediam do éter. Era um triunfo colossal da técnica, poder colocar por fim, ao alcance do mundo inteiro, uma valsa vienense e uma receita de cozinha. Como quem diz com todo segurança.
Coisas da época, mas com que objetivo? Recordo uma velha história em que se queria demonstrar a um chinês a superioridade da cultural ocidental. O chinês perguntou: “que tendes?” Responderam-lhe: “Estradas de ferro, automóveis, telefone”. “Sinto ter que lhes dizer – replicou o chinês cortesmente – que isso nós já tratamos de esquecer.”

Relatório Acadêmico do Projeto Experimental Rádio Janela escrito para a gradução da Escola de Comunicação da UFRJ.

Um espaço de busca por novas relações com microfones e mesas de som: relações mais amadoras, daqueles que amam, um lugar para os decididamente não profissionais.

Meios de comunicação biderecionais e descentralizados, que possibilitem uma interação hiper local, na vizinhança das janelas e nas janelas das vizihanças, mas que ao mesmo tempo se conectem com outras janelas, outros nós, transmitindo e retransmitindo, compartilhando e agindo em comunhão de antenas.

Andressa Cristina Santos

MST na mídia paranaense – Uma análise feita sobre os Sem Terras
A partir do Telejornal Paraná TV 2ª Edição

O presente artigo está baseado no Trabalho de Monografia em jornalismo, no qual visou entender a forma de construir um movimento social, no caso o MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra) através de matérias veiculadas por Telejornal de expressão no estado do Paraná. A idéia central do trabalho visou identificar, através de três critérios pré-estabelecidos (a linguagem, a imagem e fontes), a forma de construção que o jornal se utiliza para transmitir seu posicionamento diante do MST.

Monografia da Marília sobre a experiência da rádio indígena Awaete Mbareta (Dourados - Mato Grosso do Sul). É a mesma rádio que este texto mais antigo se refere.

Monografia elaborada pela acadêmica Carla Botelho Mager, em cumprimento à exigência do Curso de Comunicação Social - habilitação em Jornalismo, sob a orientação do professor Valmir dos Passos. Retirado de http://www.sarcastico.com.br/1pags/biblioteca/biblioteca_sistemradio_sum...

Seguinte, meu tema na monografia é Rádio Web, gostaria por favor de algumas dicas sobre rádios e bibliografia ou sites para iniciar minha pesquisa.
Agradeço desde já a atenção.

Obrigada

Entrevista realizada por e-mail com Dey Andri, autora da dissertação “O MOVIMENTO DAS RÁDIOS LIVRES E COMUNITÁRIAS E A DEMOCRATIZAÇÃO DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO NO BRASIL". Além de pesquisadora, ela participou da rádio Muda de 1993 a 2004.

Syndicate content